Total de visualizações de página

domingo, 6 de outubro de 2013

Quem cortou os meus bambus?



Os Serradores de Bambu


Durante todos estes anos que estive desenvolvendo a minha coleção de bambus tenho me deparado com algumas situações intrigantes, dentre as quais a de encontrar aquele colmo de um novo broto de bambu, quase no ponto de se tornar  uma vara enorme e viçosa, aparecer caída no chão ou pendurada sobre a touceira como se pode ver nas fotos abaixo:

 

E pior ainda, com um corte tão perfeito como se tivesse sido feito por alguém mal intencionado. A sensação é frustrante, pois é exatamente a de que alguém tenha passado por ali com uma serrinha ou uma tesoura de poda e tenha feito aquele estrago!...
                                  
 
 
Na realidade, sem nenhuma maldade, apenas instinto de sobrevivência de alguns insetos que  utilizam deste artifício para postura, proteger seu ovos e garantir alimentação para sua larvas, até virarem formas adultas novamente.
Como em minha área foram encontrados mais do que um tipo de insetos serradores (o que me pareceu estranho de início), esta dúvida foi desaparecendo a medida que eu fui comparando em cada vara cortada, o tipo de corte, o tipo de bambu e encontrando nelas insetos em ação, executando o corte e/ou nas imediações da área de corte os quais costumeiramente não são vistos nos bambus.

Como é o caso destes insetos das fotos abaixo:
Segundo comparações na web parece ser do gênero Rhinastus(pode ser o R.sternicornis). O interessante que não se trata de um inseto comum na região e não foi encontrada nenhuma vinculação dele ao corte de bambus em algumas literaturas pesquisadas. Mas este, embora tenha sido encontrado na área de um bambu serrado não me parece(?) ser um serrador, mas apenas um oportunista procurando uma porta aberta para a postura.


 
 
 

 
Este bicho se trata de um Curcolionídeo chamado Rhinastus que poderá ser o sternicornis
 
Este inseto já encontrei em um dos meus Melocanna baccifera que estava sendo cortado por um inseto serrador há vários dias. Como ele não é um "serrador"(?) eu o capturei e o fotografei para compará-lo com outros insetos do bambu. Ele é conhecido na literatura popular e em poucos trabalhos científicos como Praga do Bambu e Broca do Bambu logo, se presume que ele utiliza a abertura do corte feito pelo serrador ou outra porta de entrada e coloca ali seu ovos, assim como os colocaria em qualquer madeira que viesse garantir a sobrevivência de suas larvas(brocas) com amido suficiente para até seu ciclo se completar.


Em busca nos sites sobre insetos foram encontradas algumas informações que  me provocaram dúvidas sobre os costumes e o modo de operação dos insetos serradores, bem como as plantas que eles costumam predar e colocar seu ovos. Algumas vezes são vistos alguns que são insetos predadores dos eucaliptos (existem plantios enormes de eucaliptos nas vizinhanças do Bambuplatz Garten). Outras vezes são predadores do algodoeiro (não existem plantações de algodão na região). O interessante é que eles, de alguma forma, vieram se instalar por aqui, talvez utilizando o bambu como substrato pela inexistência de suas plantas preferidas na região.
A comprovação da presença destes insetos, e de suas larvas nos bambus foi obtida pelas inúmeras fotos e vídeos que consegui fazer os quais serão colocados a disposição no You Tube a seguir.

Abaixo seguem algumas fotos destas situações.
Corte em um B.vulgaris vitatta


 



           






























 No bambu de jardim














 

No Phyllostachys aurea  



No Guadua angustifolia



No Guadua angustifolia

 

Uma das últimas atividades deles foi observada em final de abril/2012(um pouco antes do inverno). Foi registrado um grande número de larvas em apenas poucas varas de uma touceira de Chusquea jurguensii (Bambu nativo do RS). Em apenas um entrenó consegui fotografar e fazer um pequeno video de várias larvas em ação. É muito difícil conseguir fotos das formas adultas.  O interessante é que logo após esta infestação pelas larvas do serrador esta touceira do Chusquea jurguensii floresceu e secou completamente. Segundo informações não haveria ligação entre a infestação e a floração, pois esta espécie floresceu em outras regiões do estado(RS).

 
A foto abaixo é de um inseto encontrados em um bambu. Segundo algumas literaturas parece ser do gênero Oncideres (espécie ainda não bem identificada) que poderia ser  o Oncideres dejeani. Este inseto é comum aqui no RS, pois são cortadores de Acácia negra e do Eucalipto que são culturas muito difundidas na minha área.
 
As fotos dos adultos que estão abaixo são insetos que estavam próximo da área de corte, em mais de uma ocasião que estes cortes foram realizados. Como se tratam de insetos diferentes não consegui ainda definir qual deles é o mais comum e o mais ativo.


Detalhes e curiosidades observadas
Os insetos adultos(alados) cortam somente varas verdes, que caem ou ficam penduradas e servem de local de abrigo para os ovos e larvas. A larva(broca) se desenvolve alimentando-se do tecido interno das varas. O Chusquea, por ser maciço, se configura melhor diante dos outros substratos que estes insetos costumam predar. São várias posturas em uma mesma vara e em diferentes pontos de corte. A postura é feita logo após ou durante o corte. Os ovos eclodem e as larvas adentram no bambu através dele. As varas ficam caídas ou presas no meio da touceira e secam e ali se desenvolvem as larvas. Na porção contígua ao corte, ou seja, a que fica na planta(verde) não se desenvolvem larvas.

Abaixo são larvas de um serrador encontradas em um Bambu de jardim cortado pelo serrador conforme foto anterior.

 


Prevenção e cuidados
Como medida preventiva o melhor é estar atento para retirar e queimar as varas que forem cortadas por eles, caso sejam encontradas caídas. - Deve-se evitar o uso de inseticidas, pois a aplicação poderá afetar outros insetos que são benéficos ao bambu como o caso das Joaninhas e algumas aranhas.
É bom salientar que as aranhas exercem uma função de proteção para evitar a entrada de insetos alados dentro das touceiras, pois suas teias servem como uma rede protetora para isto e as Joaninhas são as que eliminam os eventuais insetos(ácaros) que por lá se instalam.
É importante que sejam feitas constantes vistorias no interior dos bambuzais e se retire dali varas que tenham sido cortadas por estes tipos de insetos serradores(fácilmente identificáveis pelo tipo do corte como visto acima).
Para uma melhor identificação das varas cortadas por serradores se pode verificar, como na foto abaixo, pequenos orifícios na área em torno do corte onde as larvas estão(o que não acontece em todos os tipos de brocas).
Perfurações em espiral em uma vara de Guadua angustifolia infestada por larvas de serrador.
 
Muitas outras fotos e videos foram feitas a partir do material descrito, oportunamente poderão ser disponibilizadas para quem estiver interessado em realizar um estudo mais detalhado deste inseto que poderá vir a ser uma das maiores "dores de cabeça" dos Produtores de Bambu.
Assim como as que já tenho quando vejo uma vara nova , recém brotada, caída no chão.